Mulher é morta pela PM após esfaquear namorado e ameaçar militares em Guarda-Mor

Jovem de 24 anos tentou atacar militares com um facão; polícia revidou e disparou contra a mulher, que morreu ao ser socorrida

1
1969
Continua depois da publicidade

Uma jovem de 24 anos morreu na noite desse domingo (18) em Guarda-Mor, região Noroeste de Minas, após esfaquear o namorado, de 25, e em seguida tentar atacar militares que atendiam a ocorrência.

Continua depois da publicidade

O caso aconteceu no fim da noite, na casa onde o casal vivia, na rua João Alves de Oliveira. A irmã do rapaz, vizinha do local, chamou os militares depois de ouvir os barulhos causados na confusão. Segundo ela, o casal consumia muito álcool e passou todo o domingo bebendo. Durante a briga, o homem teria dado um soco na companheira, que revidou o esfaqueando na região do tórax.

Quando a polícia chegou, o homem já estava sendo socorrido do lado de fora da residência pelo irmão. Uma ambulância já havia sido solicitada e os policiais passaram a ajudar nos primeiros socorros ao rapaz.

Logo depois, Bárbara saiu da casa segurando um facão na mão direita e outras duas facas menores na esquerda. De acordo com o boletim de ocorrência, ela estava incontrolável e foi para cima dos policiais. Um dos agentes se posicionou armado em frente à viatura e deu ordem para que ela se afastasse.

A jovem, no entanto, continuou no mesmo trajeto e, então, o policial disparou. Não há informações no boletim de ocorrência se esse primeiro disparo chegou a atingir a mulher.

Em seguida, ela segui em direção ao namorado, que estava sendo socorrido pelo irmão e outro militar, que deu ordem para que ela parasse e chegou a usar o spray de pimenta para tentar conter a jovem.

Segundo o boletim de ocorrência, nem assim Bárbara se afastou. Ela tentava a todo momento golpear o policial, o namorado e o cunhado. O soldado, então, disparou contra a região da perna da jovem, segundo o BO, para que o tiro não a matasse.

O tiro pegou nas proximidades da virilha. O militar chegou a fazer um torniquete para tentar estancar o sangramento. Instantes depois, a ambulância chegou e socorreu o casal para o Hospital Municipal de Guarda-Mor.

Os policiais registraram no boletim de ocorrência que não conseguiram contabilizar quantos tiros foram disparados e nem quantos atingiram a jovem. Os enfermeiros da unidade hospitalar, no entanto, constataram duas perfurações na mulher. Eles disseram ainda que o rapaz tinha um corte no tórax que poderia ter perfurado seus pulmões.

Dado à gravidade das vítimas, ambos foram transferidos para o hospital da cidade vizinha de Vazante. Bárbara, no entanto, não resistiu e faleceu no trajeto. O homem deu entrada na unidade hospitalar em estado grave. Quando a saúde dele se estabilizou, o homem foi conduzido para um hospital em Patos de Minas.

Revoltada com a ação da PM, o irmão da jovem chegou a dizer para os policiais que “isso não iria ficar assim”, postura semelhante ao do pai da jovem, que também proferiu algumas palavras aos militares. Segundo o BO, os PMs não encararam as falas como “ameaça” e disseram que os familiares estavam apenas “desabafando”.

O caso será investigado pela Polícia Civil de Paracatu, também no Noroeste de Minas.

Continua depois da publicidade

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comentar tópicos
0 Respostas do Tópico
0 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Tópico de comentário mais quente
1 Autores de comentários
Coragem Autores recentes de comentários
Novos Antigos Populares
Coragem
Visitante
Coragem

Tiro na perna e faleceu no caminho do hospital. E verdade verdadeira despreparo dos policiais militares.