Vitória de Zema vira teste para Partido Novo provar eficiência

No primeiro discurso após o resultado, empresário garantiu governo transparente

0
283
Continua depois da publicidade

A partir de 1° de janeiro de 2019, Minas Gerais será governada pelo Novo, partido criado há três anos com a bandeira do liberalismo econômico, do corte de privilégios e do fim das indicações políticas. Essa será a primeira experiência da legenda no Poder Executivo em todo o país, o que transformará o Estado em um laboratório da política defendida pela sigla. Nos próximos quatro anos, os olhos do Brasil estarão voltados para Minas, para acompanhar se o Novo vai passar pelo teste de governar sem os vícios da velha política.

Continua depois da publicidade

A tarefa estará nas mãos do empresário Romeu Zema, eleito com 71,8% do votos, contra 28,2% do senador Antonio Anastasia (PSDB). Ele sabe da responsabilidade que carrega. “Aqui, em Minas, vamos ser, de certa forma, uma vitrine. Então, queremos fazer o melhor governo para que o Partido Novo venha mostrar que suas ideias realmente funcionam. Quem é que não quer acabar com mordomias desnecessárias? Quem é que concorda com os políticos gastando dinheiro, que batalhamos para ganhar e pagamos em impostos, para fazer campanhas milionárias?”, questionou o governador eleito, ao chegar no salão Ilustríssimo, na região Leste da capital. Cercado por militantes, ele comemorou a vitória e seu aniversário de 54 anos que, por coincidência, caiu no dia da votação.

Zema adotou um discurso conciliador, seguindo uma mudança de postura que veio evoluindo desde que venceu o primeiro turno, e a possibilidade de governar passou a ser real. O empresário disse que agora é preciso governar para todos, mas aproveitou para alfinetar os partidos tradicionais. “Fica provado que não é o poder dos grandes partidos e das grandes facções que vão fazer a diferença. Estamos lançando uma política diferente aqui em Minas. Muito provavelmente, sou o primeiro governador a ser eleito no Estado sem ter o apoio da classe política. Então, a política tem que estar mais democratizada, não pode pertencer a um só grupo, e nós queremos sinalizar isso claramente. Lembro também que é hora de nos unirmos. Os mineiros precisam estar juntos”, afirmou.

A promessa é manter a bandeira da transparência, defendida pelo empresário de Araxá. Ele afirmou que terá uma enorme preocupação em mostrar à população tudo o que for feito com dinheiro público.

“Uma garantia eu dou: vou fazer o governo mais transparente da história de Minas. Cada cafezinho que eu gastar, a população vai saber, porque sei o que é pagar imposto e como isso pesa na vida do cidadão”, disse.

A festa de comemoração foi fechada para convidados e contou com food trucks e chope. Romeu Zema chegou acompanhado pelo candidato derrotado a presidente pelo partido, João Amoêdo, e seu vice, Paulo Brant (Novo).

Continua depois da publicidade

Deixe um comentário

avatar