19.9 C
João Pinheiro
domingo, abril 5, 2020
Anúncios
Anúncios
Anúncios
Anúncios

Ataques a caixas eletrônicos têm queda de 43% este ano no Brasil, diz Febraban

Mais comentadas

Torcida cruzeirense de João Pinheiro responde a provocação dos atleticanos com um outdoor no centro da cidade

O ano de 2019 ficou marcado pelo rebaixamento do Cruzeiro Esporte Clube, time mineiro que nunca havia caído para...

Capoeirista é morto a tiros enquanto dava aula em academia no bairro Papagaio em João Pinheiro

A manhã desta quarta-feira pegou muito pinheirenses de surpresa ao ficarem sabendo de um homicídio no bairro Papagaio na...

Polícia prende suspeito de assassinar capoeirista Paulo Munha

A Polícia Civil de João Pinheiro prendeu na manhã desta quinta-feira (10), Diogo Gomes, de 34 anos, suspeito de...

Os ataques a caixas eletrônicos em todo o Brasil tiveram uma queda de 43% de janeiro a maio deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Para o diretor adjunto de Operações da Febraban, Walter Faria, parte da queda é decorrente da instalação de dispositivos que mancham de tinta as cédulas quando os caixas são arrombados. As ações dos órgãos de segurança estaduais e federais, e do Exército também contribuíram para a redução, segundo ele. Os dispositivos com tinta colorida já foram instalados pelos bancos em 75,6% dos caixas, até maio, em cidades com até 50 mil habitantes. Nas cidades com população entre 50 mil e 500 mil, 30% dos terminais já têm a tecnologia.

A medida faz parte do compromisso dos bancos de combater esse tipo de crime e se adequar à lei 13.654, de abril de 2018, que alterou o Código Penal para reprimir principalmente o uso de explosivos nos ataques. Conforme a legislação, para municípios com até 50 mil habitantes, os bancos teriam até novembro deste ano para instalar a tecnologia da tinta em 50% dos terminais eletrônicos e até agosto de 2020 para atingir 100% dos caixas. Atualmente, o parque de caixas eletrônicos no país é de 168 mil unidades.

Em cidades maiores, o prazo vai até abril de 2021. Conforme a Febraban, a instalação do dispositivo prioriza as regiões com maior incidência de ataques. Segundo Faria, os bancos optaram pela tinta especial, a mesma usada pela Casa da Moeda para a fabricação das cédulas – produto indelével, impossível de eliminar. Faria explica que no caso de recebimento de cédula manchada, mesmo que em pequena quantidade, o cliente deve entregar o dinheiro para seu banco.

Queda

Um levantamento com 17 instituições financeiras que respondem por mais de 90% do mercado bancário mostrou que, em 2018, foram realizados 171 assaltos e tentativas a agências. O total é 21% menor que o registrado em 2017 (217), quase a metade de 2016 (339) e um décimo do registrado em 2000, quando houve 1.903 ocorrências. Conforme a Febraban, a queda nos índices também se deve às ações da polícia no desbaratamento de quadrilhas e ao trabalho de inteligência para identificar os grupos criminosos.

A redução no volume de dinheiro disponível nas agências, por causa do uso de canais eletrônicos para operações bancárias, também teve influência. Os bancos investem cerca de R$ 9 bilhões anualmente na segurança das agências.

No Estado de São Paulo, em 2018, tinham sido 4 roubos a banco em janeiro, 4 em fevereiro, 5 em março, 3 em abril e 9 em maio. Já este ano, houve 1 caso em janeiro, 2 em fevereiro e 2 em março. Abril e maio tiveram um registro em cada mês. A redução nos ataques coincide com ações mais ostensivas de repressão a esses crimes pelos órgãos de segurança.

No dia 4 de abril, uma ação da Polícia Militar resultou na morte de 11 suspeitos, em Guararema, na região metropolitana da capital. Os criminosos explodiram caixas de dois bancos, mas foram cercados por equipes das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota). A quadrilha já era monitorada e foi surpreendida pela ação policial.

Conforme a SSP, nos últimos seis anos o número de casos de ataques a caixas eletrônicos no Estado de São Paulo caiu 97,8%. No primeiro semestre de 2013 foram registradas 508 ocorrências desta natureza, contra 11 no mesmo período deste ano.

Paralelamente ao trabalho das polícias, a pasta informou ter liderado discussão sobre o combate a este tipo de crime com outras instituições como a Febraban, o Exército e a União. “Dentre as medidas, há a decisão do Exército de obrigar as empresas a terem escolta privada para evitar o extravio de dinamite e o mapeamento georreferenciado dos caixas eletrônicos para dar maior eficiência ao policiamento”, disse em nota.

Anúncios

Deixe um comentário

avatar
Anúncios

Últimas notícias

PF cumpre mandado de busca e apreensão em caso de grupo preso com aviões em João Pinheiro

Um mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça Federal de Paracatu, no Noroeste do estado, foi cumprido pela...

Benefício de R$ 600 começa a ser pago na semana que vem, afirma Ministro da Cidadania

O auxílio emergencial de R$ 600 para informais vai começar a ser pago na próxima quinta-feira (9), afirmou nesta sexta (3) o ministro da...

Farmavida Papagaio esclarece FakeNews divulgada em redes sociais de João Pinheiro

A Farmavida do bairro Papagaio, que entrará de plantão neste próximo sábado (04), foi vítima de uma Fake News na tarde desta sexta-feira (03)....

Mais dois casos suspeitos que aguardavam o resultado dos exames dão negativo em João Pinheiro

O boletim epidemiológico emitido pela Secretaria de Saúde de João Pinheiro de hoje (03) mostra que mais dois dos casos que aguardavam o resultado...

Desconfiado de sumiço de gado, proprietário reúne animais e descobre furto em João Pinheiro

A esposa do proprietário foi quem compareceu ao quartel da Polícia Militar para registrar a ocorrência na última quarta-feira. Segundo ela, seu esposo, desconfiado de...
Anúncios

Artigos relacionados

Anúncios