11.9 C
João Pinheiro
11.9 C
João Pinheiro
Anúncios
Anúncios
Anúncios
Anúncios

Magazine Luiza é multado em mais de R$ 10 milhões por cobranças indevidas no cartão de crédito

A decisão condenatória é do Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-MG), órgão integrante do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG)

Mais acessadas

Pinheirense de 22 anos empreende e abre granja especializada em frango caipira de alta qualidade

O jovem pinheirense Murilo Henrique Mendes Luis viu na criação de frangos caipiras de alto padrão uma oportunidade de...

Gari encontra celular na lixeira e entrega para a Polícia, em Paracatu

Uma gari de 54 anos que faz a limpeza de praças é um exemplo de honestidade e caráter. Na...

Moto adulterada é apreendida na MG 181 e motociclista é conduzido para a delegacia

A Polícia Militar Rodoviária Estadual abordou uma motocicleta na MG 181 na tarde de terça-feira (23) com o chassi...

A Magazine Luiza foi condenada administrativamente a pagar uma multa de R$ 10.551.786,92 por cobrança indevida de seguros e produtos não solicitados por consumidores nas faturas dos cartões de crédito contratados na loja. A decisão condenatória é do Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-MG), órgão integrante do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG).

Na decisão, o Procon-MG esclareceu que, além da inclusão indevida de seguro na fatura do cartão de crédito, os consumidores não obtiveram êxito, junto ao fornecedor, ao solicitarem o cancelamento, a exclusão dos valores nas faturas ou o estorno das quantias pagas indevidamente.

Segundo o promotor de Justiça de Defesa do Consumidor de Belo Horizonte, Glauber Tatagiba, com o intuito de evitar encargos, juros e outras despesas, o consumidor se vê obrigado a pagar o valor integral da fatura, incluindo a quantia cobrada sem sua autorização. “O usuário arca com o custo de um serviço não solicitado, encontra dificuldades para cancelar a cobrança e precisa insistir para que ela seja cessada. Essa prática é flagrantemente abusiva e prejudicial ao consumidor”, comentou o promotor.

Glauber Tatagiba explicou ainda que, após algumas reuniões, não houve interesse da empresa em regularizar seu procedimento e que “segundo levantamento pericial, a empresa obteve um ganho, com o serviço de seguro, superior a R$ 1 bilhão nos últimos anos. Porém, por limitação legal, não foi possível aplicar multa superior à que foi imposta”, esclareceu.

A empresa possui prazo de 10 dias úteis, a contar do recebimento da notificação, para pagar a multa ou apresentar recurso.

Anúncios
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Anúncios

Últimas notícias

Com 138 casos suspeitos, João Pinheiro segue mais um dia sem casos confirmados do coronavírus

A Secretaria de Saúde de João Pinheiro emitiu na tarde de hoje, sexta-feira (29), o boletim da Covid-19 atualizado....

Moto adulterada é apreendida na MG 181 e motociclista é conduzido para a delegacia

A Polícia Militar Rodoviária Estadual abordou uma motocicleta na MG 181 na tarde de terça-feira (23) com o chassi adulterado. Os militares faziam uma...

Gari encontra celular na lixeira e entrega para a Polícia, em Paracatu

Uma gari de 54 anos que faz a limpeza de praças é um exemplo de honestidade e caráter. Na quarta-feira (27), durante o trabalho...

Mais 7 casos suspeitos da Covid-19 são registrados nas últimas 24 horas em João Pinheiro

A Secretaria de Saúde de João Pinheiro emitiu na tarde de hoje, quinta-feira (28), o boletim da Covid-19 atualizado. Nas últimas 24 horas houve...

Pinheirense de 22 anos empreende e abre granja especializada em frango caipira de alta qualidade

O jovem pinheirense Murilo Henrique Mendes Luis viu na criação de frangos caipiras de alto padrão uma oportunidade de empreender na cidade de João...
Anúncios

Artigos relacionados

Anúncios