16.3 C
João Pinheiro
16.3 C
João Pinheiro

Polícia Federal cumpre mandado de busca e apreensão em João Pinheiro

Foram cumpridos mandados de prisão preventiva e três mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal em Gurupi/TO

Mais acessadas

Camionete capota e é atingida em cheio por caminhão de leite na MG-181, em João Pinheiro

Mais um acidente foi registrado na MG-181, estrada que liga João Pinheiro à Brasilândia de Minas, desta vez no...

Advogado com Covid-19 que fugiu de hospital em Patos de Minas morre por insuficiência respiratória

O advogado João Donizetti de Lacerda, 63 anos, acabou falecendo na madrugada desta quinta-feira (09). Ele estava internado com Covid-19...

Enfermeira vai até o quartel e registra ocorrência por bate boca no PSF de Rural Minas

Uma enfermeira foi até o quartel da Polícia Militar de João Pinheiro para registrar uma ocorrência na manhã da...

Suspeitos de fazerem parte de uma quadrilha especializada em caça e comércio ilegal de animais silvestres são alvos da operação Araracanga, deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (13) em Minas Gerais.

Conforme a corporação, uma força-tarefa montada por 20 policiais federais cumprem dois Mandados de Prisão Preventiva e três Mandados de Busca e Apreensão nos municípios de Contagem e Ribeirão das Neves, na Grande BH, e no município de João Pinheiro, na região Noroeste do Estado. As autorizações foram expedidas pela Justiça Federal em Gurupi, no Tocantins.

As investigações sobre o crime ambiental tiveram início em 2018, após uma apreensão de pássaros realizada pela Polícia Rodoviária Federal em Cariri/TO. Os rastros deixados pelos suspeitos indicaram que a organização comprava grandes quantidades de animais silvestres nos Estados da Bahia, Tocantins e Pará, que eram levados para grandes centros de comercialização, a exemplo de Belo Horizonte e São Paulo.

Os investigados devem responder pelos crimes de caça ilegal, receptação e organização criminosa, cujas penas podem chegar a 16 anos de reclusão.

Araracanga

O nome da operação faz referência ao nome de uma das espécies comercializadas pelo grupo. Os investigados devem responder pelos crimes de caça ilegal, receptação e organização criminosa. Se condenados, as penas podem chegar a 16 anos de prisão.

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Últimas notícias

Mais nove pessoas se recuperam da Covid-19 em João Pinheiro

A Secretaria de Saúde de João Pinheiro acaba de publicar o boletim epidemiológico de hoje. Mais nove pessoas conseguiram...

Copasa de João Pinheiro culpa o frio pela falta de abastecimento em diversos bairros da cidade

Há poucos meses atrás, os pinheirenses sofreram com a falta de abastecimento de água em toda a cidade. Na época, as fortes chuvas eram...

Advogado com Covid-19 que fugiu de hospital em Patos de Minas morre por insuficiência respiratória

O advogado João Donizetti de Lacerda, 63 anos, acabou falecendo na madrugada desta quinta-feira (09). Ele estava internado com Covid-19 e chegou a fugir do...

Enfermeira vai até o quartel e registra ocorrência por bate boca no PSF de Rural Minas

Uma enfermeira foi até o quartel da Polícia Militar de João Pinheiro para registrar uma ocorrência na manhã da última segunda-feira (6). Segundo ela,...

Criminosos invadem residência durante a madrugada e agridem morador em Brasilândia de Minas

Um homem que estava dentro da sua casa dormindo na madrugada deste domingo (05), no bairro Porto em Brasilândia de Minas, foi acordado a...

Artigos relacionados